sexta-feira, 30 de abril de 2010

Vendo com Clareza


“Tendo olhos, não vedes? E, tendo ouvidos, não ouvis? Não vos lembrais” (Marcos 8:18).

Jesus é verdadeiramente o Mestre dos mestres! A maneira como nos ensina é fascinante! Observem esta seqüência de acontecimentos nas Escrituras Sagradas: No texto acima (Mc 8:18), Jesus criticou a maneira como seus discípulos viam, eles não conseguiam ver com clareza, não enxergavam as coisas espirituais. Então Ele os leva para uma aula prática. (Mc 8:22-23a NVI) “Eles foram para Betsaida, e algumas pessoas trouxeram um cego a Jesus, suplicando-lhe que tocasse nele. Ele tomou o cego pela mão e o levou para fora do povoado”. Jesus o leva para fora, assim seus discípulos não se distrairiam. Veja como o Mestre realiza esse milagre de uma maneira especial: A principio parece que falhou ao realizar o milagre (Mc 8:23b-24 NVI) “... Depois de cuspir nos olhos do homem e impor-lhe as mãos, Jesus perguntou: você está vendo alguma coisa? Ele levantou os olhos e disse: vejo as pessoas; elas parecem arvores andando”. Há duas maneiras de ver, uma natural, outra espiritual. Por diversas vezes Deus se refere aos homens usando arvores como ilustração (ex: Mt 7:17 “Assim, toda árvore boa produz bons frutos, porém a árvore má produz frutos maus”.), se não temos visão espiritual, não vemos claramente, não compreendemos, precisamos pedir a Deus que nos abra os olhos, como Eliseu fez com seu moço (2 Reis 6:17). Na maioria das vezes que passamos por lutas, não temos a visão muito clara, não enxergamos a ajuda divina, não vemos os recursos que Deus nos concede. “Mas uma vez, Jesus colocou as mãos sobre os olhos do homem. Então seus olhos foram abertos, e sua vista lhe foi restaurada, e ele via tudo claramente” (Mc 8:25 NVI). Cristo não faz nada pela metade, agora o homem vê com discernimento, essa é a visão espiritual, que nos dá clareza (discernimento).

O que era uma botija de azeite para uma viúva endividada até o pescoço? – Era o recurso para liberdade dos filhos e o suprimento para o resto da vida! (2 Reis 4). O que era a pequena funda contra o gigante? – Era a potente arma para derrubá-lo! (1 Sm 17). O que era uma simples vara, diante de faraó e seu exército? – Era a ferramenta que Moises usou para libertar o povo cativo! (Êx 4:2). A cruz era símbolo de maldição, perdição e morte, porém, quanto às mãos de Jesus Cristo foram cravadas nela, se tornou símbolo de benção, salvação e vida!

Quem tem a visão espiritual consegue enxergar as providências divinas mesmo nos pequenos sinais. Elias orou por chuva, Deus mandou uma pequena nuvem, mas o profeta sabia que o Senhor escolheu as coisas fracas do mundo para envergonhar as fortes (1 Co 1:27).

“Eliseu lhe perguntou: Que te hei de fazer? Dize-me que é o que tens em casa. Ela respondeu: Tua serva não tem nada em casa, senão uma botija de azeite” (2 Reis 4:2).

A viúva tinha o azeite; Davi, a funda; Moises, a vara; Elias, a pequena nuvem; Jesus, a cruz.
E você, o que tem? O que Deus colocou em suas mãos? “O que tens em casa?”.

“Não vos sobreveio tentação que não fosse humana; mas Deus é fiel e não permitirá que sejais tentados além das vossas forças; pelo contrário, juntamente com a tentação, vos proverá livramento, de sorte que a possais suportar” (1 Coríntios 10:13).

Não despreze a pequena nuvem, por mais que pareça pouco, quero desafiá-lo a crer que Deus pode fazer com isso grandes coisas (Pv 15:16). Peça para o Senhor abrir seus olhos, não fique com a visão distorcida, Deus quer que você veja com clareza; creia! Pois já está em tuas mãos!
“E ele lhes disse: Quantos pães tendes? Ide ver! E, sabendo-o eles, responderam: Cinco pães e dois peixes. [...] Todos comeram e se fartaram; [...] Os que comeram dos pães eram cinco mil homens” (Marcos 6 38, 42 e 44).

Ev. Elias Codinhoto.

2 comentários:

Debora disse...

sempre passo por aqui p me alimentar desta palavra tao maravilhosa!! te amo maninhoooooooooooo!!

Edson Costa disse...

Palavra maravilhosa....um verdadeiro estudo!!!